19 fevereiro 2013

Sabedora & Felicidade



Algumas perguntas:
Quantas horas por dia você dedica a você mesmo?
Você é gentil consigo mesmo?
Se está sofrendo: Porque me maltrato tanto?
Perguntas que costumava fazer Sêneca - grande orador do Império Romano e, depois conselheiro de Nero - e seguindo seu raciocínio:
Podemos dizer que hoje precisamos parar um pouco de esperar, esperar a noite, o fim de semana, os feriados e as férias. Esperar enquanto o presente nos escapa por entre os dedos. Esse que é o único momento que nos permite sermos felizes. Esperar não é viver, é ansiar e desejar o tempo todo e, no final, a pessoa pouco aproveitou desse momento mágico que nos foi concedido para existir. Ao defender a ideia de que a felicidade não é ter tudo, mas conseguir viver sem o domínio do desejo atual. 
Pode-se dizer então que: o Sêneca se torna atual - pois o objetivo da sociedade consumista da atualidade é fazer do desejo a meta dos nossos sonhos, nos tornando pessoas continuamente insatisfeitas. Pessoas  em busca de um objeto que não existe. É por isso, que troca tanto nos dias atuais. Comprar um objeto hoje significa desvalorizá-lo já no ato da compra. O desejo é sempre busca e só o amor é encontro.

Alfeu Trancoso - Ambientalista e professor de Filosofia da Puc Minas para a Revista Ecológico

Nenhum comentário:

Postar um comentário