28 julho 2014

Sombras do Passado


Vale a pena mentir para a pessoa que se ama... para poupá-la de alguma contrariedade?
E se essa mentira (se revelada) levar a um ponto sem volta no relacionamento?



Maior dos dilemas. Provavelmente cada um de nós já passou por alguma situação assim.
E se não passou, vai passar.

De que lado você está? Do lado pinocchio de nariz comprido ou do "verdadeiro em tudo"?
Numa situação desesperadora, você mandaria tudo às favas e enfrentaria as consequências da verdade explícita?
Ou se esconderia na frágil capa protetora da mentira?
Fala-se em mentira piedosa.
Isso existe?
Tem a hora do "falando francamente"...
Será?
O ser humano engana e se engana. os momentos de apuros com uma informação, de dúvidas quanto a sua disseminação, se alternam, se diferenciam, se transvestem.
Regras sociais e interesses nos encurralam no anúncio ou no segredo.
Mas onde essa guerra interna mais se incendeia é no aflorar dos sentimentos de amor e ódio.
Aqui a educação adquirida, os manuais de comportamento, os mandamentos religiosos enfrentam seus maiores obstáculos.
Pois o amor, a conquista, a ameaça da perda nos empurram para um vale-tudo.
Consta que com a maturidade essa batalha, velha como o mundo, arrefece, se acalma, é domada.
Somos levados à verdade falada e vivida.
Consta.
Será?

Tomara.



Nenhum comentário:

Postar um comentário